25 de abril de 2018

Certas verdades

A gente faz de tudo pra não enxergar a verdade quando ela é dolorosa. Mas não da pra fugir disso. Não da pra fugir. Eu não sei ao certo como a conversa tomou aquele rumo, mas ouvir todas aquelas coisas enquanto você ficava calado concordando, me machucou mais do que todas as desculpas que já me deu. Ouvir dizerem que eu não era o tipo adequado de mulher e não te ver abrir a boca para discordar, só me fez ter certeza do quão pouco eu signifiquei todo esse tempo. 

Eu ouvi a opinião de todos, mas a sua versão de que eu não era confiável foi o mesmo que receber uma facada. Depois de tudo, eu não sou de confiança, depois de todos os segredos eu simplesmente deixei de ser alguém confiável. Usar isso como desculpa para não admitir que prefere alguém dentro dos seus padrões é baixo, pra não dizer maldoso.

Toda aquela história de seguir a tradição familiar embrulhou meu estomago e te ver ali, sentado calado, confirmando que eu nunca estive à altura, me fez duvidar o quanto eu te conheço. Te ver em silencio enquanto alguém dizia que eu nunca seria boa suficiente, me fez duvidar se algum dia você teve qualquer intenção de ficar por aqui. Quanto mais eu repasso a conversa de ontem, mas eu me sinto idiota, por ter acreditado que você me amou de verdade por um minuto sequer da sua vida. 

22 de abril de 2018

Uma vida toda pela frente.

Eu viro noites em claro imaginando onde ele está, que não está aqui. Rolo na cama pensando em qual cama ele deve estar se deitando. Eu que tinha feito tantos planos, não consigo planejar nem a próxima semana sem incluir ele. Tudo que eu faço parece pela metade e me atormenta saber que nunca mais serei completa outra vez. Ele escolheu ir embora, escolheu outro alguém pra amar e eu permaneço sem sentir o chão sob os pés. E nada me assusta mais do que imaginar que tenho uma vida toda pela frente sem ele por perto pra segurar minha mão. Ele sempre foi tudo que eu precisava e agora é tudo que me falta.

16 de abril de 2018

Para o próximo aniversário.

Eu passei dias escrevendo esse texto, tentando diminuir os excessos e parecer normal. Logo eu que nunca fui normal. O presenta já estava comprado e o bolo era o mesmo de um ano atrás. Eu queria mais do que qualquer outra coisa, ter comemorado o ultimo aniversário que passaríamos juntos, mas agora nada disso faz mais sentido...


"Olha a gente aqui mais uma vez. Já podemos chamar oficialmente de tradição. 06/05 é meu dia favorito no ano há algum tempo já. E se eu pudesse desejar qualquer coisa hoje, desejaria que você nunca mais ficasse triste ou sentisse dor. Eu desejaria que, pelo menos uma vez no ano, as pessoas te enxergassem como eu enxergo, alguém incrivelmente doce e cuidadoso. Você é uma pessoa maravilhosa e eu sempre vou ser grata por tudo, mesmo quando eu disser o contrario por raiva.

Há um ano atrás a gente estava prestes a estragar tudo mais uma vez, das tantas vezes que já fizemos isso. Eu devia ter dito qualquer coisa, devia ter te contado como o seu sorriso ao abrir a porta validou minha vida até aquele dia. Eu devia ter feito muita coisa diferente nos últimos anos, mas eu era idiota e orgulhosa demais pra perceber que você era a melhor coisa que eu tinha.

Eu sei que sou uma pessoa difícil, eu falo demais, te sufoco demais, te quero demais, te enlouqueço com tantas brigas, mas eu sou completamente apaixonada por você. Agora mesmo, enquanto você lê, minha mente já imaginou um milhão de coisas tentando adivinhar no que você esta pensando e no quão ridícula eu pareço quando você esta aqui.

Há um ano atrás a gente devia ter jogado aquele meio bolo fora, cancelado minha ida pra outra cidade, o seu namoro, qualquer plano que não incluísse nós dois juntos. Nós perdemos um ano e eu estou apavorada com a ideia de que nós perderemos o resto da vida separados. Porque qualquer coisa que eu faça sem você do meu lado, terá sido uma grande perda de tempo no fim da minha vida.

Nada me assusta mais do que imaginar que esse pode ser o ultimo aniversário que comemoramos juntos. Nosso último ano ta acabando e eu to com medo de te perder pra sempre, então me perdoa se eu não estiver conseguindo disfarçar a tristeza hoje.

Você tem me ensinado ser uma pessoa muito melhor. A gente aprendeu muita coisa juntos. Eu aprendi a ter mais empatia, a cozinhar (um pouco), a ter mais calma com a vida e ser eu mesma. E você aprendeu a palavra reciproco e como uma mulher pode ser louca. E mesmo que eu tivesse todas as opções do mundo, eu continuaria escolhendo você, todos os dias da minha vida. E mesmo que eu tenha estragado tudo e você não sinta mais nada por mim, ainda pode ficar com o presente.


Eu te amo, do meu jeito ansioso e meio sem jeito. E eu sempre vou amar..."


Essa seria a carta que eu entregaria junto com a surpresa que já estava preparada, mas não vai ter bolo ou comemoração. Não vai ter desejo de felicidades ou abraço de parabéns. Não vai ter último aniversário, nem mesmo adeus. Eu só estava enganada mais uma vez.

3 de abril de 2018

Não bastou.


Por Deus como eu sinto a falta dele. É como se eu morresse um pouquinho todos os dias. Eu me recuperei diversas vezes das rasteiras que ele e a vida me deram, mas dessa vez foi como se ele tivesse arrancado o restinho de esperança que me restava. Como se tivesse me tirado a única coisa que me mantinha em pé. Ele foi embora como se todos esses anos não tivessem significado absolutamente nada. E não há pelo que culpá-lo, ele só não sentiu o mesmo que eu. Não consigo nem mesmo odia-lo, nem por um segundo, nem só por odiar. 

Não consigo sequer  erguer os olhos e encarar o rosto dele sem sentir que falhei. Com ele, e sobretudo, comigo mesma. Apesar de todo esse tempo eu continuo sendo a mesma garota que se apaixonou pela primeira vez e acreditou que o amor seria suficiente. Que bobagem, nunca foi suficiente. Nunca bastou tê-lo amado tanto. E eu me pergunto quanto tempo será necessário para deixo-lo ir embora. Mas aprendi que mesmo que doa em cada centímetro do meu corpo, alguém que não me ame de volta, não pode ser a  pessoa certa.

1 de abril de 2018

Bem ao lado.

Acabo de chegar à conclusão de grande parte de nossas dores são causadas por nós mesmos. Por não aceitarmos que certas coisas não dependem de nós. Insistimos tanto na pessoa errada que quase não nos damos conta de que existe alguém apenas esperando por uma oportunidade. Nos concentramos em quem nos despreza a ponto de não enxerguar que bem do nosso lado há alguém, que daria tudo pra receber o que oferecemos pra quem simplesmente não se importa, pra quem nunca se importou. 

Cada noite em claro pela pessoa errada, poderia ter sido uma noite agradável com alguém que só espera por uma oportunidade, alguém que apesar de ter ouvido inúmeros nãos permanece com os braços estendidos. Talvez seja hora de parar de olhar pra quem nunca nos olhou de volta e notar quem nunca foi notado de verdade, quem só quer nosso bem.

26 de março de 2018

Como ninguém.

Eu sempre te contei tudo a meu respeito, você sabe de cada passo em falso que já dei. Quantos corpos em quem eu já encostei. E eu sempre pensei que a única coisa que ninguém nos tiraria seria nossa lealdade. Achei que pudesse confiar em você, que não existissem segredos entre nós. Mas cada vez em que finjo não te conhecer entre um grupo de pessoas, ouço novidades decepcionantes sobre você. Eu sempre achei que mesmo que faltasse amor, não faltaria sinceridade, mas eu estava enganada mais uma vez. As vezes me pergunto se eu amei você ou um personagem. Quantas coisas você escondeu de mim? Quantas ainda esconde. Mesmo depois de ter me dito pra te esquecer, eu ainda me importava, porque você ainda era a minha pessoa. Quem eu conhecia como ninguém, na verdade eu é quem nunca fui ninguém.

19 de março de 2018

Melhor esquecer o beijo no altar.

Nenhuma frase, em nenhum dia de todos os anos que vivi, me destroçou como aquele "creio que sim...". A pergunta mais difícil que já fiz em toda minha vida e a pior resposta que já tive que enfrentar. Foi como pegar todos os planos que fiz e enfia-los garganta a baixo.

Nunca imaginei como seria esse dia, o dia em que a esperança sairia pela porta da frente. Eu sempre imaginei a gente terminando juntos, em algum lugar, longe de todo mundo. Eu sempre tive certeza de que mais cedo ou mais tarde ele decidiria ficar de vez. Mesmo que por descuido, ele gostasse de ficar. Mas é melhor esquecer o beijo no altar. 

É melhor guardar minhas certezas porque eu nunca estive tão enganada sobre algo.

Logo ele, a única pessoa com quem eu fui de verdade. Logo a pessoa que eu mais amei em toda vida, foi embora. E vê-lo tão decidido me feriu em partes de mim, que nem eu mesma conhecia. É como se tivessem me arrancado o chão sob os pés. Talvez metade do das pessoas lá fora, nunca sinta um amor assim, e hoje, pela primeira vez, eu não sei se tenho sorte ou azar de te-lo sentido tão profundamente.

Eu sinto como se um prédio inteiro tivesse despencado sobre mim e não há um centímetro meu sequer, que não pareça estar quebrado. Meu estomago embrulhou como se cada sonho que incluísse ele, estivesse tentando sair. É algo do qual a gente nunca se recupera. Todos os anos de vida que ainda me restam, não serão suficientes pra apagar a noite de hoje.

Dizem que há eventos que dividem nossa vida em, antes e depois. Creio que hoje tenha sido um desses momentos. E meu único consolo é saber que nada, nunca, sera capaz de doer tanto quanto está doendo agora.