8 de novembro de 2017

O amor quase acaba, mas não acaba nunca.



Hoje eu abri o guarda-roupa e dei de cara com seu moletom, dei de cara com um uma tonelada de lembranças que eu vivo tentando evitar. Me sentei e lembrei das dezenas de vezes em que te mandei embora e de como eu acreditava que você nunca iria. Me lembrei de quando acreditávamos que nada no mundo iria nos afastar e de como era bom ter essa certeza, mesmo que estivéssemos errados. 
Hoje eu ouvi nossa música tocando na rua e me dei conta de como nossa história foi bonita e fiquei feliz por ter vivido ela com você. Eu nunca tive tempo de te agradecer por ter me amado, mesmo que do seu jeito complicado, exatamente como eu era, com minha pilha de defeitos. Eu nunca te agradeci por ter sido meu apoio por anos. Hoje eu me dei conta de que o amor nunca acaba, eu aprendi a gostar de outras pessoas, mas sempre vou amar você e aquela pintinha que carrega acima da boca. Sempre.

12 de outubro de 2017

Passo 3

Não sei exatamente por onde começar, não sei exatamente onde estou. Mas é a primeira vez em muito tempo que me sinto completamente dona de mim. Você me tirou muitas coisas, e dentre todas, uma eu achei que nunca fosse recuperar, minha confiança em mim mesma. Pela primeira vez desde você, eu sinto que não estou fazendo tudo errado. Pela primeira vez desde que você se foi, eu acordei e sorri por ser exatamente quem eu sou, mesmo que isso signifique errado pra você. Mesmo que eu nunca seja boa o suficiente para você ficar ao meu lado. Você nunca vai me superar e no meio de uma noite qualquer vai se dar conta de que era minha instabilidade que te fazia feliz. E como diria uma sabiá mulher, eu finalmente deixei de ter pena de mim por estar sem você e passei a ter pena de você por estar sem mim.

15 de setembro de 2017

Passo 2

É preciso aprender a diferença entre querer de volta e querer esquecer. Eu te quis por muito tempo, tempo demais eu diria. Sinto muito se não fui tudo que você procurava. Espero que algum dia, pra alguém, eu seja suficiente, exatamente ao meu modo. Eu estou levando bastante tempo pra aprender a conviver com os destroços que você deixou, com a sensação constante de que nunca passei de curativo para feridas antigas.

A gente leva tempo até se curar, até voltar a erguer a cabeça sem sentir peso nos ombros. A gente leva tempo até entender que algumas coisas nunca vão ter explicação. Você acorda todos os dias e se pergunta onde foi que errou, qual parte de você o fez ir embora. E não importa quantos bons amigos você tenha, nem a quantia de pessoas que lhe diz o quão maravilhosa você é, você continua se perguntando por que ele nunca conseguiu enxergar isso e se culpa. E não importa a quantas noitadas você vá, quantos caras legais tentem se aproximar, você permanece com o gosto amargo da rejeição no fim da noite. Você continua acordando todos os dias com a mesma pergunta em mente: por que ele não se importa? Por que a unica pessoa que poderia fazer alguma diferença, simplesmente, não dá a minima? Outra pergunta sem resposta.

27 de agosto de 2017

Do primeiro ao último momento.

Eu te amei do dia em que coloquei meus olhos em você, até o dia em que você se foi. Amei seus medos, sua incerteza e sua mania de pensar em todo mundo. Amei você todos os dias de todos os incontáveis meses, naqueles em que me amou de volta e também nos outros em que nem se lembrou que eu estava ali. 

Algumas coisas eu amei a primeira vista como aquela pintinha do lado da sua boca, já outras, levaram algum tempo até entender. Amava quando você chegava sorrindo, quando desenhava seu nome em todas as minhas coisas, amava o som da sua respiração no meio da noite e sua cara inchada pela manhã. Eu amava nossas brigas por que elas sempre terminavam com alguma declaração. Amava nossa discordância em tudo, exceto sobre nós mesmos. Nunca amei suas roupas, mas amava vê-las espalhadas pelo chão da casa. Amava seu ciúmes quase imperceptível e odiava quando me deixava livre pra ir embora se quisesse. Amava quando aparecia pra me ver, quando atravessava cidades pra ficar pouco mais que duas horas aqui, junto. 

Amei nosso início conturbado e quando finalmente pudemos passar o fim de semana todo juntos. Amei cada um dos seus jeitos estranhos como nunca fui capaz de amar nada antes. E de todas as coisas que eu amava, nada se compara aos nossos aniversários. Independente de qualquer briga, seu aniversário sempre me fazia voltar atrás com alguma coisa nas mãos. Ele sempre será uma data sagrada pra mim. Mas agora eu vou comemorar sozinha. Por que eu te amei desde a primeira vez em que te vi chegar até o dia em que você se foi pra sempre. 

23 de agosto de 2017

Passo 1

Eu sinto como se você tivesse se tornado outra pessoa, como se todas as nossas conversas nunca tivessem acontecido, como se todas as historias que costumávamos contar juntos, fizessem parte de uma outra vida. Eu reconheço seu rosto e peço todos os dias pra que você volte a ser quem eu costumava conhecer, mas o homem que eu conheci simplesmente foi embora. E sua indiferença esta me matando aos pouquinhos, dia após dia.

Nós costumávamos conversar horas sobre qualquer coisa. Como eu sinto sua falta. O resto do mundo todo, não é capaz de me dar a paz que eu encontrava olhando nos seus olhos. Nenhum outro ser humano vai me despertar tanto afeto nessa ou nas próximas vidas. Mas eu fiz o que sempre faço, perdi uma grande chance. Eu te esperei por tanto tempo e não soube lidar quando você estava aqui. Eu só quis te fazer sentir tudo que eu senti. Eu estraguei tudo. E não há nada que eu possa dizer que conserte todas as minhas decisões erradas. Eu fiz o que pude pra você me esquecer e nessa missão eu não falhei. Mas se você estiver lendo isso... eu sempre vou me arrepender de ter te deixado ir embora.

20 de agosto de 2017

Essa estranha mania de gostar de quem não se pode.

Nos não concordarmos em nada. Você é pratico, eu sou romântica. Você só vai com hora marcada, eu saio no meio da noite, você pensa demais, eu nunca paro pra pensar.  Você me fala de deveres, eu te falo de amor. Você me dá lição de moral, eu digo que seu problema é ser certinho demais. Você sorri pra todo mundo e eu não sei disfarçar minha cara de apatia. Você está sempre certo e eu sempre falando alto. Você faz o que é correto, eu faço o que quero. Você preferia que eu fosse mais equilibrada e eu queria que por impulso você batesse na minha porta, nem que fosse pra brigar comigo. A gente discorda de tudo, a única coisa que temos em comum é que nós dois nos apaixonamos pelas pessoas erradas. Um pelo outro!

18 de agosto de 2017

Ninguém mais.

Engraçado como todo o resto parece mentira, quando descobrimos uma verdade. Como todos os eu te amos perdem força. Eu costumava te manter em um pedestal, onde ninguém podia te alcançar. Ninguém ousava questionar. Você era meu modelo de cuidado, de carinho e acima de tudo, de confiança. Como eu confiei em você por tanto tempo. Eu teria colocado meu corpo todo no fogo se você me desse sua palavra, até ontem, até alguém destruir o único laço que ainda tínhamos, a nossa confiança absoluta. Eu tenho mudado bastante, tenho orado e me mantido afastada de qualquer um que queira se aproximar demais. Você foi a última pessoa que me viu nua, de corpo e mente e a cada dia tenho mais convicção de que sempre me entreguei demais pra você, como quem tinha certeza que seria segurada caso caísse. De todas as certezas que eu costumava ter, a única que ainda mantenho é de que ninguém nunca vai te amar nem em 80 anos tanto quanto eu amei num só dia, e nenhuma outra pessoa vai ser capaz de me magoar tanto quanto você foi capaz.

14 de agosto de 2017

Em frente!



Onde foi que nós nos perdemos? A gente se olha mas não se vê, se esbarra mas não se encontra. A gente não se toca mais e por Deus, como sinto falta do teu abraço. Quando foi que eu deixei de te importar? Quando foi que deixei de ser sua confidente? Em que momento da vida você deixou de gostar do som da minha risada estranha? Quando deixou de querer jogar conversa fora, quando deixou de achar graça das nossas brigas? Em qual curva do caminho você deixou de conhecer meu corpo, meu gosto? Quando foi que esqueceu toda nossa história? Por favor me ensine a fazer o mesmo, por que eu estou falhando diariamente.

Nós estragamos tudo, destruímos a coisa mais bonita que já me aconteceu. Nós perdemos a melhor chance que a vida nos deu e você nem sequer se importa mais. Você seguiu em frente e esqueceu que um dia fomos o melhor par. Eu te amei de um jeito que nunca ousei sonhar. Nem mesmo sei se mereci conhecer um sentimento tão puro, sendo tão egoísta. Apesar de tudo estou aprendendo a te desejar felicidade mesmo não estando inclusa nela. Estou aprendendo a andar sozinha sem medo de me perder, deixei de sentir pavor das ruas vazias depois que percebi que meu maior demônio era sua ausência. Eu já perdi tudo, não há mais nada que possam me tomar.

11 de agosto de 2017

Quantos anos serão necessários?


Eu passei semanas lamentando ter te amado tanto, passei noites inteiras acordada revirando na cama e em mim mesma, tentando entender como alguém podia me jurar amor e abrir mão de mim com tanta facilidade. Passei dias que não lhe desejo de volta, me perguntando quais defeitos tão graves eu tinha. Por que eu não servia.

Quantas mensagens não enviadas, quantas noites te esperando se arrepender, quantas garrafas inteiras eu bebi. Eu deveria te odiar por isso, deveria me lembrar a cada manhã, da noite em que você escolheu me deixar pra lá, mas não consigo. Me pergunto quantos anos serão necessários pra esquecer os nossos anos.

1 de agosto de 2017

Indiferença



Ninguém entende o que você significava pra mim, e eu não consigo explicar. As pessoas não entendem como ainda me perco quando o assunto é você. Como é possível que todas as minhas histórias incluam seu nome. Ninguém imagina o quanto eu dependia de você, pra tudo. E que todas as vezes em que te mandei embora, eu estava implorando pra que você não desistisse de mim. 

Eu digo que você virou passado, que estou lidando bem com tua ausência, que já apaguei seu número e ver suas fotos não me machuca mais. Mas a verdade é que ainda passo em frente à sua casa, ainda tenho aquela sua blusa e comprei o seu perfume pra quando a saudade apertar. Eu ainda escrevo mensagens de boa noite e depois apago, eu ainda acordo no meio da noite te procurando, ainda tenho anotado o nosso aniversário no calendário e toda noite penso em te ligar, mas sua indiferença ao atender vai me machucar. Então deixa pra lá, um dia eu deixo de me importar.

19 de julho de 2017

Saudade.



Saudade é não saber, não saber se ele tem saído todas as noites, se ainda assiste jogos às quartas, se joga videogame ou se já descobriu que um passatempo menos irritante. Saudade é não saber se ele ainda dorme tarde, se conseguiu outro emprego, se ainda usa aquele moletom. Não saber se ele tem cozinhado, se tem dormido bem, se cortou o cabelo ou deixou a barba crescer. Saudade é estar sozinha numa mesa e vê-lo passar do outro lado da rua e permanecer em silêncio. Saudade é morar no mesmo bairro e não fazer ideia de como ele tem passado. É mudar a rota pra casa todos os dias, só pra não encontra-lo por descuido. E por descuido deixo-lo perceber que saudade mesmo é viver com alguém e sentir saudade de como ele costumava ser.

17 de julho de 2017

Remetente não encontrado.

Quantas brigas já comprei por sua causa, quantos insultos ouvi por assumir a bronca de amar tão errado, como se amar, de qualquer forma, não fosse divino. Quantas pessoas legais eu mandei embora, quantas noites eu quis sumir e quantas quis que você me encontrasse. Ah, quanto tempo eu esperei por você, pra terminar aqui, escrevendo pra um remetente que nunca vai chegar a ler. Amando sozinha outra vez, só pra não esquecer como é, amar o homem que escolheu não estar ouvindo isso da minha boca. Amar o homem que deseja minha felicidade e ignora o fato de que, o que eu queria mesmo era ser feliz com ele.

6 de julho de 2017

Eu sempre gostei de mergulhar, mas você prefere a margem.



Eu jurei que nunca mais te escreveria na primeira pessoa, jurei que você havia destruído tudo de bonito que um dia eu cultivei em mim, mais duas promessas quebradas. Mas tudo bem, eu também já jurei que nunca dormiria no seu colo pela segunda vez, jurei que nunca mais bateria na sua porta quando sentisse medo, jurei que não voltaria atrás, pelo menos uma dezena de vezes. E estava errada em todas elas. Eu quebrei cada promessa que me afastava de você, eu abri mão de coisas que você nunca saberá. Passei por cima do meu orgulho, meus princípios, minhas verdades, só para não passar por cima de você.

Eu explodi centenas de vezes e esperei que você juntasse meus pedacinhos, eu tomei conta de todas as horas do seu dia, só pra que você sentisse minha falta quando eu partisse, me fiz em muitas mulheres, para que pelo menos uma te agradasse. Mas nada disso te impediu de me esquecer. Nem todas as risadas de anos, juntas, te impediram de virar as costas e ir embora.

Eu não espero que você se importe, nem sequer que você saiba de tudo isso. Na verdade eu deixei de esperar muitas coisas e uma delas, foi você. Eu nunca duvidei que eu te despertasse algo, mas você nunca teve coragem de sentir de fato, de segurar minha mão. Sempre te trouxe mais problemas do que soluções, eu sei. Mas eu sempre estive aqui.

Hoje eu sei o quanto nossos erros foram pequenos perto do nosso orgulho, hoje eu sei o que você só vai descobrir daqui alguns anos, que a vida passa rápido demais quando estamos perdendo tempo. E que cada segundo que você desperdiça tentando se convencer entre o que quer e o que deve fazer, fará muita falta no fim da sua vida. Mas eu vou te deixar descobrir isso sozinho. Por mais que me machuque a ideia de que você possa sentir qualquer forma de dor, a minha última promessa eu vou manter, não vou mais atrás de você. E se algum dia você passar aqui, saiba que tudo que eu lhe disse da última vez foi tentando convencer a mim mesma. Tentando, ao menos por um minuto, não te amar tanto.

Eu desisti de gastar o resto da minha vida tentando sem sucesso te odiar, é cansativo e inútil, você foi o amor da minha vida, dessa vida. Mas também desisti de tentar te convencer disso, você decidiu abandonar o barco e eu finalmente aceitei isso.

16 de junho de 2017

Um apartamento vazio e uma cabeça cheia.



Estou me perguntando até onde eu posso chegar assim, até onde eu consigo andar sem sentir minhas pernas. Estou sozinha, numa casa vazia o feriado todo, me imaginando no mundo sem o par de olhos que eu segui por tanto tempo. Me imaginando caminhando sozinha, depois de anos esperando que ele me desse mão, mesmo que tenha sido tudo uma grande farsa, eu nunca me senti tão só quanto agora. 

Mesmo tendo aberto meus olhos, ainda dói como nunca, todos os dias. Cada manhã, quando coloco meus pés no chão, sinto como se doesse ainda mais que na noite anterior. Não cessa, não diminui, não me da paz. E cada minuto dos dias exageradamente longos que chegam, me lembram tudo que podia ter tido e abri mão. Me lembram cada frase que ele repetia da boca pra fora, que me fizeram desistir de ir embora dezenas de vezes. Me lembram que eu estive ao lado dele até o dia em que ele julgou útil e nenhum a mais.

Eu estou sentada em frente a uma parede branca e quase consigo ouvir o som da voz dele me julgando, seus conceitos baixos sobre mim e o maldito menosprezo por tudo que eu senti. Ele levou toda minha fé e atirou em algum lugar qualquer. Eu amei até quase enlouquecer, um homem que nunca esteve aqui e agora o fantasma dele me persegue aonde quer que eu vá.

12 de junho de 2017

O espetáculo acabou



Doeu em cada pedacinho do corpo, dilacerou de dentro pra fora sem chance de conserto. Feriu como nunca imaginei que fosse capaz, quando ele se virou e beijou outra pessoa, bem diante dos meus olhos, há menos de um metro, há menos de um mês de ter me jurado amor. Foi como cair 1000 metros e bater o corpo todo no chão em um segundo. Exatamente no pior momento, quando eu mais precisei dele, quando ele era a unica pessoa que podia me entender e me proteger.

Ele foi fundo na vingança, um ego ferido e a falta de amor que o habitam me machucaram como eu nunca esperei. De todas as mãos que segurei, a dele era a única que eu nunca acreditei que me soltaria. Foi a que me empurrou direto pro chão, quando eu mais precisei de segurança. O seu teatro me convenceu por tempo demais, mas não convence mais. 

26 de maio de 2017

A porta esta aberta.



Depois de algum tempo a gente entende que confiança é algo bem mais valoroso do que a gente supunha. A gente percebe que confiar em alguém é sair da armadura e deixar o outro te tocar. É partilhar seus medos com a firme certeza de que eles não serão usados contra você no futuro. Eu já confiei nas pessoas erradas e contei mentiras às pessoas certas. Já errei com quem nunca falhou comigo e continuei ao lado de quem falhava o tempo todo.

De todas as pessoas que passaram pela minha vida, uma, uma me conheceu melhor do que meu próprio espelho. Num mar de gente, foi o único que me viu desmontada da cabeça aos pés, sem vaidade alguma, sem qualquer proteção. E por ironia, foi quem bateu mais forte. Quem jogou verdades como tapas, quem usou meus medos como moeda de troca. Foi quem me fez acreditar que eu era insegura, imatura, volúvel. Quem usou cada uma das minhas malditas frases mal ditas, contra mim. Foi quem melhor atuou, quem mais machucou. 

E depois de tudo, ainda me culpa pelo caos, diz que o afasto da paz. Pois então meu bem, saiba que a porta esta aberta e pela primeira vez eu não vou chorar quando você sair. Vá atrás da sua paz e por favor devolva a minha. Você esta livre para procurar lá fora o que só encontrou até hoje, aqui dentro. Só não bata quando voltar de mãos vazias, por que eu já vou ter deixado de atender.

22 de abril de 2017

Último texto.



Eu espero que um dia ele se de conta de que cada vez que eu fui embora eu esperei ansiosamente que ele viesse atrás, espero que um dia ele perceba que tudo que eu fiz foi por ele. Eu que sempre escrevi na primeira pessoa, estou me despedindo em terceira. Não tenho pretensão de que ele entenda como é devastador abrir mão de alguém que se ama tanto, mas segurar por perto alguém que não deseja ficar, é se machucar todos os dias. É preciso aprender a diferença entre desistir e aceitar. Eu nunca desisti dele, mas hoje eu aceitei, aceitei que a vontade dele é diferente da minha. Eu aceitei que por mais que eu queira, querer por dois é impossível. Eu vou ama-lo por toda vida, mas ele não vai estar por perto pra saber.

Eu vou acordar ao lado de outra pessoa, mas sempre vou me lembrar de como era acordar ao lado dele. Eu vou gostar de outro homem, me casar e ter filhos, sonhar com a viagem em família e comemorar 50 anos de casamento, mas sempre vou me lembrar dos planos que fiz com ele. Sempre vou me lembrar dos nossos anos juntos. E desejo que um dia ele saiba, que eu nasci no dia em que ele me encontrou. Desejo que alguém segure a mão dele com a mesma força que eu segurei na nossa última despedida. E espero que esse alguém veja tudo que eu vejo quando o olho, que enxergue cada centímetro do seu corpo, mas que também saiba ver os sutis sinais de tristeza que ele deixa escapar. Que essa outra pessoa possa ama-lo a vida toda, tanto quanto eu amei numa só noite.

13 de abril de 2017

Sempre a mesma história.


Eu não sei se você ainda lê as coisas que deixo aqui. Mas são todas pra você. Eu não sei se você ainda se importa em saber, mas é sempre sobre você. E se por acaso está lendo isso agora, saiba que conseguiu. Você venceu.

Quanta bobagem minha pensar que dessa vez seria diferente, quanta ingenuidade imaginar que você escolheria ficar. Depois de todos esses anos eu ainda não sei dizer o que machuca mais, não saber de você ou saber que vai muito bem sem mim. De todas as coisas que já me feriram, a sua insegurança sempre foi a que chegou mais fundo. Em anos, você nunca me deixou na mão, mas nunca a segurou de verdade. Você esteva aqui, mas sempre pela metade. Enquanto eu fugia dezenas de vezes da sua indecisão, você permanecia sentado repetindo: eu sou assim. E era eu quem sempre batia na sua porta outra vez. Era eu quem voltava atrás, por que você sempre foi a pessoa que eu amei, em todos esses anos, eu sempre voltei.

Em cada ida eu me partia em centenas de pedaços, em cada retorno eu me enchia de esperança. Eu te esperei por muito tempo, antes de seguir minha vida. E você só me quis quando outro ameaçou me levar. Mas veja como a vida age, o mundo deu diversas voltas e eu estou aqui mais uma vez, parada na sua porta, mas ela esta fechada. Outra vez você tinha mais opções, outra vez eu não fui sua escolha. Dizem que a história se repete quando há algo para se aprender, talvez eu precise aprender a não confiar em você.

7 de abril de 2017

De volta ao inicio.



Um ano depois e nós voltamos exatamente ao mesmo lugar. Eu estava aos prantos quando de repente me dei conta de que nós estamos tendo uma segunda chance. Você faz ideia de como isso é raro? O destino nos trouxe de volta, percebe isso, não é coincidência, não é acaso, é o universo nos dando outra chance, depois de termos estragado tudo.

Eu cometi os mesmos erros que você cometeu, experimentei o mesmo fracasso que o teu e me machuquei ainda mais, quando estive longe. Escolhi seguir na direção contrária e de alguma forma, ainda assim, voltei pra você. Eu precisei me auto destruir pra entender que é do seu lado o meu lugar. 

Depois de 365 dias estamos tendo a mesma discussão outra vez, não toma a decisão errada de novo, não me manda embora pela segunda vez. Por que nós não teremos uma terceira chance, a maioria dos casais lá fora não tem ao menos a segunda. Uma vez na vida, acredita na gente, só uma vez, confia em mim.