1 de novembro de 2016

Perdoa a demora.


Eu já nem durmo mais, eu já nem sei quem é a pessoa do outro lado do espelho. Eu costumava saber exatamente o que fazer, pra onde ir, o que escrever. E agora estou sentada num quarto vazio, me perguntando onde está aquela minha ansiedade de viver. Por muito tempo eu soube exatamente o que eu queria, e mudar de opinião me deixou apavorada. Eu estive tanto tempo no mesmo lugar, que me assustei ao abrir os olhos e enxergar um horizonte totalmente novo. 
Eu permaneci em cima de um muro muito frágil, por tempo demais, se ainda houver tempo, eu finalmente percebi de qual lado quero estar. Eu estava com medo de me perder, mas pensando bem, é tudo que eu mais quero, me perder com você. Perdoa a demora, agora sei exatamente qual mão quero segurar.