12 de novembro de 2015

Nos vemos por aí.



Eu não fazia ideia do que era querer a felicidade de alguém acima de qualquer coisa, mesmo que essa felicidade alheia não me incluísse. Não sabia o quanto podia querer bem a alguém sem receber algo em troca. É dessa forma que penso em você, como a pessoa a quem eu desejo uma vida longa e inacreditavelmente feliz, mesmo ciente de que não vou participar. Porque você me deu outra perspectiva do mundo, me provou que ainda existem pessoas incríveis por aí.
Quando eu deito minha cabeça no travesseiro eu sei que você foi a coisa mais real que eu já senti na vida. Sou apaixonada por cada fio de cabelo seu, fora do lugar. Eu adoraria passar o resto da minha vida com você, mas adoraria ainda mais, que você passasse o resto da sua vida ao lado de quem você escolher e que essa pessoa veja, pelo menos, metade do que eu vejo quando te olho. 

9 de novembro de 2015

Não me falta nada, exceto você.


Eu juro por todas as divindades que conheço, que nunca mais encosto em você. Faço promessa. Anoto nos lembretes do celular, que ficar com você vai contra tudo que eu sempre acreditei, é um tremendo erro. Mas você sorri doce e eu esqueço cada uma das noites em que virei, repassando as dezenas de motivos que tenho pra me manter o mais longe possível. Você me tira do sério, do equilíbrio, do bom senso. 
Quando você chega eu quase odeio o mundo por ter demorado tanto pra nos apresentar. De todas as coisas que eu amo, você foi a mais fácil de amar. Não há nada em você que eu não goste absurdamente, o cabelo bagunçado, a barba por fazer, os olhos de ressaca e até das piadas sem graça. Com você elas tem graça sim, com você qualquer coisa tem graça. 
Quando você esta aqui eu não preciso de mais ninguém, qualquer outra pessoa é mera paisagem. Meus olhos não se desviam nem um minuto sequer dos teus, como se eu quisesse reter cada segundo da sua presença. Quando você esta aqui não me falta mais, absolutamente, nada.