7 de julho de 2015

Aprendi, eu juro.



Você foi embora como quem vai ali e já volta, encontrou noutro abraço o afeto que eu nunca soube dar. Passou de amor incondicional à gente se vê por aí. E eu fiquei aqui, ali, aí, esperando te ver. Esperando você voltar e dizer que tudo não passou de uma lição pra eu aprender te amar direito. Já aprendi, amor, já aprendi, volta. Volta com seu par de olhos pequenininhos gritando meu nome pra rua toda ouvir, volta do seu jeito, cabeça baixa rindo da minha braveza. Volta brigando, batendo portas, mordendo minha boca. Volta dizendo que sou ruim demais até pra você, volta como nas outras vezes e diz que tudo não passou de uma briga. Volta a contar nossos aniversários, volta a dizer que o destino cuida da gente, volta pra quem te amou do jeito mais esquivo que se há e odiou o mundo sem você. Volta, meu bem.