26 de maio de 2015

Se aquieta, a vida é bonita sim.


Tenho andado perdida em mim mesma, trocando os passos e indo até onde não devia. Tenho andado distraída e um tanto confusa, sufocando em ideias absurdas de uma fuga pra lugar nenhum. Não faço ideia de onde estou agora, pareço prestes a cair, prestes a me arrepender de algo que ainda não fiz e que, muito provavelmente, só descobrirei quando for tarde suficiente pra não ter retorno. Submersa nos meus próprios receios e fugindo dessa minha tendencia assustadora de cometer os mesmos erros do passado. Mas no meio de toda essa correria eu olho pra trás e vejo a única coisa da qual gosto verdadeiramente, a única coisa que eu reconheço e pareço conhecer de outras vidas: o sorriso mais aconchegante que já conheci. No meio de toda guerra há um abrigo, no meio das minhas batalhas pessoais eu me abrigo em você. Me escondo nos teus olhos doces, e quem me dera passar o resto da vida aí, na mira do teu par de olhos castanhos. Porque todo meu medo de não ser boa o suficiente acaba, toda minha indecisão sobre todas as coisas do mundo se desfaz quando você me abraça e me beija a testa, como quem diz, obrigada por ter vindo. E por um segundo eu tenho certeza que apesar de tudo, a vida é bonita.

12 de maio de 2015

Yin e Yang.


Ele cura gripe, mal estar e mal olhado, não há mal humor que se firme quando ele esta aqui. Não precisa dizer nada, o silêncio dele já é suficiente pra mim. Ele tem aquele jeito de calmaria, que eu nunca gostei e parece nunca perder o controle. Eu mal consigo falar devagar e ele sempre me obriga a esperar. Nunca o ouvi erguer o tom de voz, nem mesmo quando eu gritei, e mesmo assim sempre me venceu em qualquer conversa. Ele me desacelera, acalma minhas tempestades e me ensina que não é preciso ter pressa de viver. Cada vez que ponho meus olhos nele encontro um novo detalhe pra gostar. Olhar fundo pra aqueles olhos, que ora são verdes ora são castanhos, me faz um bem que não encontro em mais ninguém. Parece pecado gostar tanto assim de alguém. 

8 de maio de 2015

Infinitos


Existem infinitas possibilidades e centenas de milhares de outras pessoas por aí, só esperando para serem conhecidas, mas nesse instante eu não consigo me imaginar ao lado de nenhuma outra. Nesse momento eu trocaria todas as minhas possibilidades só pra te ver dormir bem de perto outra vez. Eu riscaria todas as minhas opções pra me tornar a sua. Porque nada nesse mundo tão gigante é tão acolhedor quanto o teu sorriso, nenhuma paz é maior do que a que eu encontro quando te encontro, quando me encontro. Nada me atravessa quando estou escondida no teu abraço, nada chega até mim e o resto do mundo é só paisagem. Todas as outras pessoas são apenas plateia do teu olhar. E eu que te jurava indiferença acordei infinitamente apaixonada pelo sorriso mais bonito da cidade. Você é meu lugar favorito, é como um livro que não me canso de ler, encontrando uma nova frase predileta a cada leitura. Me perco tentando encontrar um motivo pra gostar tanto de cada linha traçada no seu rosto, de cada fio de cabelo fora do lugar. Quanto mais reparo, mais gosto do que vejo. Você me parece um corredor infinito cheio de portas e eu quero descobrir o que tem atrás de cada uma delas.