25 de março de 2014

Não sei!


Engraçado como o tempo passou e eu continuo escrevendo sobre a mesma pessoa. Sobre aquele verão e as noites em que eu beirei a felicidade completa, se é que é possível encontra-la. Engraçado como a maioria das coisas mudaram em mim e ao meu redor, e a única que permanece intacta é sua memória.

Meu último quase-romance me perguntou noite passada, o quanto é possível amar alguém. Imediatamente eu disse baixinho seu nome, esse era o máximo que se podia amar. Era o máximo que eu já tinha amado na vida. Eu perdia o rumo só de te ver sorrir, e quando você me olhava fundo o resto do mundo era mera paisagem ao seu redor.

Eu olhei pro cara parado a minha frente com os olhos vidrados em mim, e que a essa altura já estava incomodado com todo aquele silencio e falei, é possível amar até sentir o estomago cheio de fagulhas, até a boca ser pequena pro tamanho do sorriso que se quer dar, até os pulmões ficarem cheios de tanto ar que se prende. É possível amar até a lua ida e volta. Mas pessoalmente eu acredito que o amor tenha muito mais haver com as coisas impossíveis. Como acordar numa segunda e sorrir como se fosse sábado, ficar bêbado sem nenhuma gota de álcool, voar sem asas. Coisas impossíveis como falar de amor e não pensar nele. Simplesmente não dá pra ficar aqui fingindo que estamos indo bem, só pra eu me convencer de que posso gostar de outro homem, mesmo não podendo. Me perdoe mas não é você, é ele. Aqui ou nas tribos da Malásia, continua sendo ele. E talvez sempre seja, não sei.

Eu nunca disse...


Eu costumava pensar que as coisas ficaram mais fáceis, bobagem, a tendencia é complicar ainda mais, sempre. Em todos os setores da minha vida as coisas ficaram mais difíceis, mas não pense que eu estou reclamando, não. Bom, talvez minha tendencia ao drama dê essa ideia, mas na verdade eu só estou querendo dizer que talvez, só talvez, eu estivesse errada quando disse que ficaria muito melhor sem você.

Depois de todas as coisas que vivi sem você estar por perto pra me ajudar, eu aprendi a caminhar sozinha, mas acredite, em cada vez que eu tropecei eu quis que você estivesse ali. Eu quis que você quisesse me ajudar. Eu não te amo mais. Mas gostaria que te dizer o quanto amei, porque pra ser sincera eu nunca disse. Você sempre soube, mas eu nunca lhe disse. Bem, então se sente porque decidi que hoje irei te contar.

Quando eu te conheci eu era bem diferente do que sou hoje, com sonhos muito menores. Mas eu me apaixonei, eu me apaixonei pelo seu par de olhos castanhos. E parecia que o mundo tinha ficado pequeno, cabia dentro do teu sorriso. Como se mais nada no mundo fosse tão bom quanto nós dois juntos. Eu te amei como nunca mais vai acontecer, tão intenso que parecia errado. Planejei toda a minha vida do seu lado, mesmo sabendo que não ia ser, não ia acontecer. Você foi a melhor coisa que aconteceu. Foi a única vez em que senti que valia mesmo a pena estar viva.

Continue sentado e não fale nada, eu não quero que você diga que sentiu o mesmo, não estrague tudo, eu sei que não foi reciproco. Conheço um pouco de você pra saber que deve estar pensando agora mesmo: se eu concordar ainda posso ter ela outra vez. Mas pare, eu não sou a mesma de antes, eu só queria que você ouvisse tudo isso em silencio e soubesse que alguém te amou mais do que qualquer outro ser humano vai amar, que sim, você é um desastre amoroso, mas me fez sentir o chão tremer. E se depois de tudo isso você ainda estiver pensando numa boa historia pra me levar pra sua cama, então ótimo, você ainda é o mesmo homem que eu conheci. E até fico feliz em ver que não mudou, mas não me serve mais fingir que sou amada, eu quero ser de verdade. Desejo que você mantenha sua incrível capacidade de conquistar todo mundo ao seu redor e mais do que tudo, que não acabe uma pessoa vazia, que pelo menos uma vez na vida ame, que descubra como é ter o coração batendo fora do corpo.

14 de março de 2014

Brincando comigo.

Quanto tempo faz que a gente não se vê, um ano, uns meses. Então, como vai você?
Muito tempo pra se resolver e muito pouco tempo pra te esquecer.
A vida passa, tudo outra vez se enche de graça, a gente muda de tom, a gente muda de praça.
Mal se lembra da flor que continha um espinho, mas não esqueço que um pedaço meu ficou no caminho.
Mas voltando ao assunto, como vão seus pais?
Um abraço pra sua irmã que eu nunca vi mais.
E você, me conta ai como vai sua vida, nem te conto como andei curando a minha ferida.
É a vida, é a vida, nem preciso dizer.
Mas é certo que eu mudei, não vou contar pra você.
Quantas noites eu passei em claro te procurando, e você nem ai, só brincando.

Ela brincou comigo, deixou meu coração dividido.
Belo favor que você me fez, hoje eu não mais aquele que você deixou uma vez.

E ai, então me conta quais são as novidades.
Eu continuo na batalha junto com meus compadres.
Continuo na paz, eu continuo na luta e tento me esquecer que você foi uma filha da...

Foi mal, me distrai aqui pensando sozinho. Acho que eu vou pra lá, eu vou seguir meu caminho.
Quem sabe um belo e lindo dia a gente se vê, foi muito divertido estar aqui com você.
Dois beijos na face e um abraço meio sem jeito, agora ta tudo bem, eu tenho aço no peito.
Quantas noites eu passei em claro te procurando, e você nem ai, só brincando.

Ela brincou comigo, deixou meu coração dividido.
Belo favor que você me fez, hoje eu não mais aquele que você deixou uma vez.


SEU CUCA.