25 de junho de 2012

Perto da perfeição!

Você era a pessoa certa, no momento errado e seu único defeito foi ter me encontrado cedo demais. Era cedo demais pra eu reconhecer o cara certo. Você foi meu melhor amigo, foi minha melhor companhia, foi as melhores conversas, foi a paz que eu nunca havia sentido. Você foi a resposta de Deus quando eu pedi alguém, mas era cedo demais pra eu reconhecer isso. Era cedo demais pra eu entender que todo o tempo era você. A pessoa certa, quem eu sempre procurei...
Você apareceu numa noite de agosto ou setembro, eu mal me lembro. Sabe quando você encontra alguém pela primeira vez, mas sente que já conhece a pessoa de outra época, como se você me fizesse acreditar em outras vidas. Sabe quando você cruza o olhar com alguém e se sente bem, quando você abraça uma pessoa e sente que nada pode te roubar aquele abraço. Te olhar me trazia uma paz que eu mal posso explicar. É como se você realmente fosse diferente de tudo que existe. Pena eu não ter reconhecido nada disso quando você me encontrou.
É diferente de tudo que eu já senti antes, eu confiaria minha vida a você. Eu gosto de falar de você, gosto de lembrar de você, gosto de contar nossas conversas, gosto de espalhar por ai o quanto você é especial. Eu tenho orgulho de dizer que nós tivemos algo, porque talvez eu nunca mais encontre alguém que faça sentir orgulho, assim, como eu sinto de você. Não existem pessoas perfeitas, mas existe algo em você que faz tudo ao seu redor parecer mais bonito. Você me faz querer ser uma pessoa melhor. E é mesmo uma pena eu ter descoberto isso só agora, uma pena eu ter te deixado ir embora, uma pena eu ter te decepcionado, me desculpe. Eu precisava cair para crescer e precisava crescer para entender que tudo que eu sempre quis esta exatamente em você.

22 de junho de 2012

Amor em vão!

Enquanto cada pessoa ia se afastanto de você, eu te amava mais. Foi sempre eu. Quem nunca te deixou, quem nunca soube te dizer não. E foi sempre você. O causador dos meus problemas, o motivo das minhas noites em claro.
Você não tinhas muitos amigos, não tinha simpatizantes, não tinha muitas coisas. Mas teve a mim, na palma da sua mão. Tinha todo meu coração, tinha minha alma se quisesse. Eu era um brinquedo e você era meu único dono. Era bom ficar comigo de vez em quando, era engraçado brincar comigo, era gostoso rir de mim e saber que você sempre teria alguém à sua espera.
Mas depois de passar noites inteiras me sentindo uma idiota por sua causa, uma coisa eu descobri, eu nunca fui perfeita, mas sempre fui muito pra você.

Um dia qualquer.

E ai então você lembra dele e dá uma saudade. Uma vontade de voltar atrás, de viver tudo outra vez. Mas ai você se lembra também que já foi, já passou, já acabou. Que não tem volta. E isso já não dói, não como antes. Acho que o tempo vai cicatrizando devagarzinho até as maiores feridas. Um dia você olha pra trás e percebe que foi melhor assim... Mesmo o amando tanto, eu sei que nós não fomos feitos pra dar certo. Não eramos feitos um pro outro, nunca fomos.

13 de junho de 2012

Sobre ele e o amor:

Sinto que ainda existe aqui um pedaço dele que ficou, quando ele decidiu ir embora. Tenho a sensação de que ninguém mais vai me deixar tão completa outra vez. Como se eu soubesse que uma parte de mim será sempre dele. Aquele sorriso torto é o que vou lembrar sempre que me perguntarem sobre o amor.

12 de junho de 2012

Por toda vida.


Mas eu só queria que você soubesse que durante toda sua vida, mesmo que procure, você não vai encontrar alguém que te ame em oitenta anos tanto quanto eu amei num só dia...


11 de junho de 2012

Outra vez você!

Ficar negando é cansativo, tentar não sentir é perca de tempo. A verdade é que eu nunca deixei de pensar em você. A verdade é que todas as vezes em que eu disse que te esqueci foram tentativas desesperadas de me convencer disso.
Você esta na minha cabeça e parece que não vai sair tão facil. Já tentei de umas mil maneiras diferentes te esquecer, mas a cada dia me convenço mais de que isso é quase impossivel. Quanto mais eu fujo das lembranças, mais elas aparecem. Um domingo atarde. Um filme. A nossa musica. O seu perfume. Suas caretas. O jeito de falar, de andar, de sorrir... Até uma folha no chão me lembra você.
Eu já me acostumei com a sua ausencia, com a idéia de que não vamos ter outra chance. Não mesmo.
As vezes eu ainda imagino como seria te encontrar de novo, mas prefiro não descobrir. Prefiro me manter o mais distante possivel, porque te ver, seria ver todos os meus planos que não deram certo. A minha saudade em carne e osso. Ver tudo que eu preciso pra ser feliz bem na minha frente e saber que eu não posso fazer nada, e que não adiantaria mesmo que eu tentasse.
Ver a única pessoa que eu não posso amar e que é justamente quem eu mais amo. Não, prefiro não te ver mais. Prefiro me manter longe. Prefiro manter a ilusão de que você pensa em mim as vezes, do que ter a certeza de que não se importa. Pode chamar de tolice ou de medo da realidade, mas só eu sei o quanto doeria te ver mais uma vez acompanhado e me lembrar de que eu sou apenas parte do seu passado.

Tão sua.

Não posso negar que sua presença me afeta. Não sei e nunca soube esconder o quanto você mexe com cada milimetro do meu corpo. Nem em mil anos eu saberia disfarçar meu olhar ao te ver, o arrepio que me dá só de ouvir o teu nome. Nem com toda frieza do mundo eu conseguiria fingir que não te pertenço mais.
Que passem dias, meses, talvez anos. Eu ainda continuarei sendo sua. Mesmo quando tento não ser, mesmo quando já me cansei de ser, mesmo quando te odeio... Mesmo quando sou de outro, ainda sou inteiramente sua.

9 de junho de 2012

O que nós fomos?

Nós somos algo confuso, algo que nunca entendi. Eu nunca dei um fim decente à nós dois. Sei onde nossa historia começou, mas não sei onde ela terminou. Me confundi mil vezes tentando explicar a mim mesma o que nós tinhamos ou o que tinhamos significado.
Pra você eu  fui diversão, passatempo, só mais uma. Fui um namoro de brincadeira, distração. Mas o que você foi pra mim, até hoje eu não sei. Talvez uma lição, talvez uma decepção. Foi talvez um verão ou um erro. Foi um tema pros meus textos, foi meu primeiro grande amor ou meu primeiro grande engano. Até hoje não descobri que droga você foi. Mas isso hoje também já não importa. É só que eu sempre tive a mania de querer entender tudo, mas tentar entender o que eu sinto ou senti é só querer arranjar confusão pra minha cabeça. Definitivamente não importa o que você foi, e sim o que é agora. E agora você é apenas passado!

1 de junho de 2012

Alguém feito pra mim!

Só queria encontrar alguém que tocasse minha alma, num dia qualquer, alguém que me fizesse ter vontade de ir além. Alguém que segurasse minha mão e me levasse pra voar. Eu estou tão cansada de andar sozinha, cansada de ser forte todo o tempo. Eu só queria poder desacelerar, deixar o tempo passar devagar, dormir nos braços de alguém. Só eu e o amor, só um lugar em paz, só alguém com quem eu pudesse rir. Alguém que nunca fosse me machucar!
Eu tenho a necessidade de sonhar, muito, o tempo todo. Tenho vontades que vão além, sonhos que ninguém conhece. E tudo de que eu preciso é alguém que queira me acompanhar, que não solte minha mão quando eu cair, que me ame mesmo sem me entender. Alguém que me abrace quando estiver frio. Ninguém o forte o tempo todo, ninguém é perfeito sempre, as pessoas precisam de colo as vezes!